APEOESP - Logotipo

Sindicato dos Professores
do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

Filiado CNTE e à CUT

Acessar

Não é cadastrado ? Cadastre-se


Publicações

Redes Sociais Twitter YouTube RSS
Colônia de Férias / Casa do Professor

Colônia de Férias / Casa do Professor

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 21 de Dezembro 2011 - 17:59

Águas de São Pedro

A Colônia de Férias em Águas de São Pedro, região de águas thernais, foi adquirida em 28 de setembro de 1999 e tem 38 quartos com 100 leitos.



Endereço: Av. Dr. Ângelo Nogueira Vila 14 - Centro - Águas de São Pedro – SP – Tel.: (19) 3482-1121

PREÇOS


A CRIAÇÃO DA ESTÂNCIA

Em 1934 veio a São Pedro o Dr. Octavio Moura Andrade, a fim de tratar de negócios da firma Moura Andrade & Companhia, empresa paulista e exportadora de café, na qual era sócio com o irmão Antônio Joaquim de Moura Andrade. Dr. Octavio permaneceu alguns dias na cidade e aproveitou para conhecer o balneário bem como as outras fontes. Voltando a Santos estava decidido a formar uma outra sociedade com seu irmão com o objetivo de transformar o local em uma estância climática.

Em 21 de setembro de 1935, os irmãos Moura Andrade deram início ao empreendimento com a montagem da empresa Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A, sendo o Dr. Octavio seu Diretor-Superintendente. Para levar a cabo o projeto de instalar uma cidade voltada para o cuidado com a saúde, a empresa comprou ações da antiga sociedade e adquiriram vários lotes de terra reunindo em uma única área cerca de 650 alqueires de terra. Para um melhor aproveitamento das águas medicinais, Dr. Octavio levou amostras das mesmas ao laboratório do Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT, da Universidade de São Paulo. Os resultados das análises foram surpreendentes e, para maior credibilidade e oficialização desses dados foi criado um laboratório "in loco" que trabalhou na análise das águas sob a chefia do Prof. Dr. Francisco J. Maffei.

De posse dos primeiros resultados dessa análise, o Prof. Dr. João Aguiar Pupo, então Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, interessou-se pelo trabalho a ser desenvolvido pela Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A, passando a ser o consultor da empresa. Sua tarefa era supervisionar o setor médico e estudar as aplicações das águas no tratamento da saúde.

A CONSTRUÇÃO DA CIDADE

Na região não existia uma infra-estrutura que possibilitasse a construção da cidade. Neste sentido foram instaladas a marcenaria, serraria, carpintaria e uma olaria, além de uma oficina mecânica para a manutenção de maquinário. Além disso os profissionais necessários vinham da cidade de São Pedro. O córrego em frente ao Balneário Popular foi canalizado em tubos de concreto de 1,5 m de diâmetro e não resistiu às chuvas. Entupiu, provocou alagamentos e o trabalho teve de ser refeito com a construção de um canal aberto que até hoje dá vazão às águas pluviais.

O balneário existente, localizado ao lado da nascente da Fonte da Juventude, era pequeno. A empresa Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A construiu um novo balneário, com 28 banheiras sendo logo aumentado para 60. As duas outras fontes de águas minerais - Gioconda e Almeida Salles, em função de suas qualidade minerais foram canalizadas até o balneário.

A eclosão da II Guerra Mundial acabou por dificultar as necessidades da construção da cidade, nessa época, praticamente tudo o que o país usava era importado, o que dificultou sobremaneira a substituição de peças necessárias para tratores, caminhões e outros maquinários. Até mesmo a falta de gasolina dificultou o empreendimento, sendo necessário a sua substituição por gasogênio e até mesmo carroças.

PLANEJAMENTO URBANO-PAISAGÍSTICO DA ESTÂNCIA

A idéia da Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A, era promover o desenvolvimento e a exploração das águas medicinais, projetando um balneário-cidade com fins hidroterápicos e residenciais. Para desenvolver esse projeto foram chamados os melhores profissionais das áreas afins. Como não existem estudos sobre o surgimento de cidades planejadas no Brasil, acreditamos que Águas de São Pedro é uma das primeiras, perdendo talvez somente para Belo Horizonte e Maringá. Com certeza, é a primeira cidade planejada para ser uma estância.

O planejamento urbanístico de Águas de Águas de São Pedro - entendendo-se aqui urbanismo enquanto um estudo sistematizado e interdisciplinar de uma cidade e da questão urbana, foi feita pelo urbanista Dr. Jorge Macedo Vieira, que destacou uma área de cerca de cem alqueires de terra, elevando-a em curva de nível, metro por metro. O trabalho foi feito no estilo do desenvolvido pela Company City, organizada em Londres e que fazia projetos de 'cidades jardins' em São Paulo, meados da década de 10. Antes disso, o arruamento em São Paulo e em muitas outras cidade, era o estilo xadrez, sem qualquer preocupação com a topografia das áreas a serem arruadas.

Cerca de um milhão de metros quadrados foi destinado para o parque onde foram plantadas um milhão e 200 mil árvores em toda a área destinada para a estância. Trabalhando em conjunto com o Dr. João Aguiar Pupo. Dr. Macedo Vieira projetou 4,5 quilômetros de caminhos para pedestres e equitadores sem rampas ou declives. O projeto paisagístico do parque foi desenvolvido pelo Sr. Júlio Bosshard onde foram plantados jacarandás, acácias, flamboyants, paineiras, Pau-Brasil, espatódias e guapurunvuns. Para realizar o projeto de saneamento do local onde se instalaria a estância foi contratado o Escritório Técnico Saturnino de Brito, do Rio de Janeiro, que após estudos realizados, promoveu o saneamento da região numa área de três quilômetros de raio, ao redor do futuro Grande Hotel São Pedro, o ponto principal da cidade.

Esgotou lagoas, retificou o rio Araquá precavendo-se de enchentes periódicas. Além disso, canalizou córregos e minas. Secou pântanos e construiu a represa do Limoeiro, estação de recalque, linhas adutoras, estação de tratamento, reservatório e linhas de distribuição, tendo por objetivo abastecer não somente os hotéis mas também uma população prevista para dez mil pessoas. Por ser voltada exclusivamente para o tratamento de saúde, foram proibidos na cidade a instalação de indústrias e estabelecimentos de serviços pesados. Foram previstos apenas os pequenos estabelecimentos comerciais e de serviços tais como hotéis, restaurantes, farmácias, pequenas lojas de artesanato e de comestíveis.

A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUAS DE SÃO PEDRO

Em 19 de junho d 1940 o interventor do Estado de São Paulo, Adhemar de Barros, destacou no município de São Pedro a área reservada à futura estância pela empresa Águas Sulphídricas e Thermaes de São Pedro S/A. com a denominação de Águas de São Pedro. Em 25 de julho de 1940 foi inaugurado o Grande Hotel São Pedro, data que marca também a fundação da cidade. No dia 24 de dezembro de 1948 a área foi transformada em município autônomo, independente de São Pedro. Esta é a cidade que nos encanta e encanta os turistas. Ela foi planejada para ser o que realmente ela é hoje, mas não o seria se não fosse a atuação de toda a comunidade que acreditou nela. Pois, como nos lembra Richard Morse: "Nenhum urbanista, por muito esclarecido que seja, pode impor um plano de cidade e uma população que não tem disposição de aceitá-lo." (Morse, 1954)

A INSTALAÇÃO DO HOTEL

O Grande Hotel São Pedro, o ponto alto da cidade, foi planejado para funcionar como um hotel-cassino. O projeto é de autoria de Luiz Carmelindo. A construção, no estilo art-decó teve início em 1938, quando foi lançada a pedra fundamental. Para implantar a parte hoteleira e gerenciar o Grande Hotel São Pedro, foi chamado Oldrich Kocoureck com formação profissional européia. Sr. Oldrich conheceu Octavio Moura Andrade no Hotel Atlântico, em Santos, onde trabalhava. No ano de 1938 desligou-se do hotel e mudou-se para a futura estância onde passou a orientar os engenheiros sobre detalhes importantes para a construção de um hotel de luxo. Foi sua tarefa a formação da brigada de trabalho que iria atuar no grande Hotel São Pedro.

AS CONSEQUÊNCIAS DAS PERFURAÇÕES

Em alguns locais das perfurações, após terem sido retiradas as torres de petróleo, as águas passaram a brotar naturalmente do solo, formando pequenos lagos. Ângelo Franzin, proprietário de um desses locais, percebeu que seus animais bebiam daquelas águas malcheirosas. Melhoravam de aspecto, pareciam sadios e com uma bonita pelagem. Mais tarde, Ângelo Franzin descobriu que a filha de Rafael Contador Sobrinho curou-se de um reumatismo ao banhar-se em poças formadas por essas águas. Em 1930, Ângelo Franzin, em viagem a Poços de Caldas para tratamento de reumatismo, pode ele mesmo verificar que as águas de lá tinham o mesmo odor das águas de sua propriedade. Em 1932, Ângelo Franzin solicitou a José Azzini que construísse um quarto de banho, sendo contratado os serviços de Romeu Azzini e Bepe Daniel.

A banheira desse que é considerado o primeiro balneário foi feito com a aproveitamento das folhas de zinco de um velho torrador de café. Foram então construídos mais quatro quartos e os banhos passaram a ser cobrados. Em 1934, Samuel Alves Martins, Juiz de Direito da Comarca de São Pedro, tomou conhecimento da qualidade das águas do Poço Franzin e solicitou a vinda de médicos sanitaristas para exame dessas águas.

Em 1934 foi organizada uma sociedade composta por Carlos Mauro, Patrício Miguel Carreta, Joviano Nouer, Ernesto Giocondo, Vitório Mazziero, José Matarazzo, Antonnio Albino Ribeiro, João Baptista Algodoal, Higino Svazati e Emílio Marozzi, que adquiriram quatro alqueires de terra circundando as três fontes existente. Construiu-se um novo balneário de alvenaria, com dez quartos, que entrou em funcionamento em fevereiro de 1935. Para um melhor atendimento aos banhistas, foi adquirida uma jardineira, que fazia o transporte entre São Pedro e o novo balneário.

ÂNGELO FRANZIN E A BUSCA DE PETRÓLEO NA REGIÃO

É nesse contexto que se encontra a figura de Ângelo Franzin, um imigrante italiano nascido no Distrito de Uderso, Comuna de Quiaramo, Província de Treviso (Itália) em 05/09/1863. Ângelo Franzin chegou ao porto de Santos em dezembro de 1887, indo trabalhar na Fazenda Recreio, Estado de São Paulo, de propriedade de João Rezende da Cruz. Um ano depois transferiu-se para São Pedro para administrar as Fazendas Santa Rita, Santa Eulália e Rosário.

Quatro décadas depois, Ângelo Franzin juntamente com o irmão Jácomo adquiriu terras para plantar café. Compraram a fazenda Palmeiras e a Limoeiro; depois as terras da Floresta Escura, Gonçalves, Tuncum e Araquá. O Bairro do Querosene, localizado na Fazenda Palmeiras assim era conhecido pelo forte cheiro que emanava de suas terras, semelhante à substância do mesmo nome, despertando o interesse daqueles que se interessavam pela descoberta do petróleo no Brasil. Em 1915, Francisco Souto recolhia amostras de material no vale dos ribeirões Araquá e Tuncum. Mas somente em 1921, tiveram início a primeiras prospecções pelo Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil - SGMB.

"Foram então instalados os seguintes poços:

POÇO DA GRAMINHA - Quinto poço perfurado no Brasil, nº 22 pelo SGMB. Era responsável pela sondagem Erichsen e estava sob a direção do geólogo Gerson de Faria Alvim. Foi iniciada a perfuração no dia 24/07/1921. À profundidade de 320 metros manifestou-se a presença de gás natural e água mineral, conhecida atualmente como Fonte Almeida Salles. Esse poço atingiu a profundidade de 550 metros, sendo logo suspensa a perfuração.

POÇO DO QUEROSENE - Sexto poço perfurado o Brasil, nº 28 pelo SGMB. Localizado à margem esquerda do Ribeirão Araquá. A sua sondagem foi iniciada em agosto de 1921. O geólogo responsável era Egênio Bourdot Dutra. Na profundidade de 145 metros, jorraram águas sulfurosas, e, atingindo a profundidade de 497 metros, houve paralisação.

POÇO DO FRANZIN - Sétimo poço perfurado no Brasil; nº 55 pelo SGMB. A sondagem foi iniciada em 1925. Na profundidade de 412 metros, jorrou, com abundância água sulfurosa, hoje a conhecida Fonte Juventude.

POÇO DO GIOCONDO - Oitavo poço perfurado no Brasil, nº 112 pelo SGMB. Foi realizada a sondagem em fins de 1925. Era geólogo responsável Júlio Gonçalves. Atingiu a profundidade de 506 metros. Desse poço nasceram as águas minerais da Fonte Gioconda.

POÇO TUNCUN - Iniciou-se a sua abertura em 1928. Esse poço alcançou a profundidade de 758 metros e revelou várias camadas impregnadas de óleo. Na tarde do dia 14/07/1928, foram recolhidos gases que escoavam do poço, na ordem de 4.200 litros por hora; igualmente jorrava água à temperatura de 28º C, à razão de 75 litros por minuto. Foi verificada a existência de 20 litros de petróleo na profundidade de 314 metros. No dia 03/09 do mesmo ano, houve ocorrência positiva de petróleo de base parafínica de cor verde, já na profundidade de 700 metros. Esse poço foi entupido e abandonado." (Bertato, 1997) A iniciativa privada também tentou encontrar petróleo em São Pedro. Monteiro Lobato - um escritor já consagrado -, em fins de 1931, lançou ações de sua empresa, a Companhia Petróleos do Brasil que também fez prospecções no campo de Araquá. Para tanto, associou-se a Ângelo Balloni, proprietário da empresa Petrolífera, que explorou petróleo em São Pedro juntamente com o geólogo Miglieta.

POÇO ARAQUÁ - Localizado na Fazenda de Celso Lima, atual Fazenda São João do Araquá, a perfuração foi interrompida a 1.076 metros por indisponibilidade de verba.

POÇO BALLONI - Localizado na estrada velha para São Pedro. Com adaptações feitas ao equipamento existente na época, Balloni continuou perfurando até às vésperas da inauguração do Grande Hotel São Pedro. Chegou a uma profundidade máxima de 1.809 metros, com adaptações de maquinário. A Torre Balloni permanece até hoje em seu local de origem e é considerada um marco da história de Águas de São Pedro. Roberto Andraus, engenheiro, também por iniciativa própria instalou uma torre de perfuração em 02/03/1930, às margens do ribeirão Tuncum. Pouco depois, em 20/05 o poço atingiu a profundidade de 424 metros, com desprendimento de gases inflamáveis de elevada caloria, acompanhado de bolhas de petróleo. Foi comprovada por dois técnicos da Petrobras - os geólogos Luiz Meira Chaves e Franklin Andrade Gomes que comprovaram a saída de gás metano de ótima pureza.

A REGIÃO
A região de Águas de São Pedro era uma região cafeeira e, em fins do século XIX necessitava de mão-de-obra. A abolição dos escravos tornou esse problema mais patente. O caso foi resolvido com a vinda de colonos europeus, seja através da subvenção do Estado, seja através do sistema de parceria engendrado pelo Senador Vergueiro. Muitos imigrantes, a maior parte italianos e, em menor quantidade suíços e alemães vieram para a região de Rio Claro, Ipeúna, Limeira, Piracicaba e São Pedro. Em meados do século XIX a região onde hoje está localizada a cidade de São Pedro era conhecida como o Pouso do Picadão, utilizada para pernoite de tropeiros. De Itu vieram os Teixeira, os primeiros povoadores do local, que juntamente com Floriano da Costa Pereira deram início ao povoado de São Pedro.


 

PONTOS TURÍSTICOS

PARQUE Dr. OCTÁVIO MOURA ANDRADE - Com quase um milhão de metros quadrados, inteiramente reflorestado com eucaliptos e diversas árvores nobres como jacarandás, tipuana, acácias, flamboians, pau-brasil, e outras, além de extensos bosques de bambus gigantes. Nesse parque temos diversas atrações como:
Bosque, onde se podem ver gigantescos eucaliptos de diversas variedades, recantos aprazíveis à sombra dos bambus gigantes, e outras árvores de essências. Possue caminhos suaves, que propiciam relaxantes passeios. Também o Trenzinho do Bosque faz interessante itinerário mostrando suas belezas, com guia local de turismo.
Gramado do Parque Municipal - Gramado com quiosques e diversas árvores frondosas. Local usado para sediar eventos, como apresentações de músicas, orquestras, entre outros shows. Apropriado para descansar e ficar em contato com a natureza.
Museu das Águas - Máquinas, caldeiras e fotos do antigo Balneário.
Balneário Municipal Dr.Octávio Moura Andrade (ver)
Diversões- Quadriciclos, trenzinho do Bosque, trenzinho Tia Linda, charretes, cavalos, bodinhos, etc.

Parque Dr. Octavio Moura Andrade PANTANAL - Localizado às margens do Rio Araquá, é uma réplica do Pantanal Matogrossense, além de você poder usufruir da lanchonete existente no local, nos finais de tarde terá o prazer de poder apreciar as capivaras, jacarés. patos selvagens, jassanan, franguinho d'água, pato biguá. O proprietário, sr. Luiz, costuma alimentar os jacarés às quartas-feiras, a partir das 17:00 horas. Horário de funcionamento das 8:00 às 22:00 horas.

LAGO DAS PALMEIRAS - É um local bastante agradável, que atrai várias pessoas amantes principalmente da pesca. Nesse lago encontram-se diversos tipos de peixes como: tilápia, piranha, traíra.

LAGO DO LIMOEIRO - Responsável pelo abastecimento de água para a Estância de Águas de São Pedro, também frequentado por pescadores, nesse lago pode-se pescar traíra, piranha e corimbatá.

CAPELA NOSSA SENHORA APARECIDA - Arquitetura em estilo Suíço, construída pelo fundador da Estância. Localiza-se num dos pontos mais altos da cidade e também é bastante visitada por turistas e visitantes. Aberta nos finais de semanas e feriados.

MINI-HORTO - Nesse local o turista vai encontrar diversos tipos de plantas e flores ornamentais, além de um lago com criação de carpas, viveiro com codornas e periquitos. Existe também uma estufa onde são produzidas algumas espécies de flores e árvores, três minhocários (criação de minhocas) para produção de humus, que são usados na formação de mudas. Poderá passar horas agradáveis em local apropriado para piquinique.

IGREJA MATRIZ IMACULADA CONCEIÇÃO - Praça em forma de cruz com fonte luminosa, todas as missas e casamentos são realizados nessa igreja.

CENTRO DE LAZER DO TRABALHADOR "OSWALDO MARIA BARBOSA" - Localizado no Jardim Jerubiaçaba , área com mais de mil metros de construção, composto de quadra poliesportiva, sala de jogos e festas, duas canchas de bocce entre outros ambientes. Utilizado pelos moradores do bairro para a prática de esportes e realizações de eventos.

CENTRO POLIESPORTIVO "PREFEITO ARMANDO BRANDINI" - Localizado no centro da cidade, sendo composto por um campo de futebol, uma quadra poliesportiva e três piscinas, sendo: uma piscina semi-olímpica utilizada para competições, uma piscina padrão utilizada para disputa de biribol e uma piscina infantil. É nesse centro que são realizadas as escolinhas para formação da criança na prática do esporte.

MONUMENTO DAS ÁGUAS - Esculturas retratam a história da Estância de Águas de São Pedro, onde os animais foram os primeiros a se beneficiarem das águas medicinais. Muito visitado pelos turistas. Nesse local as pessoas podem passar horas agradáveis ouvindo música ao vivo nos finais de semana.

MAPA

 


 

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011