APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Teses e Dissertação

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 26 de Setembro 2018 - 19:11

Professor e escritor avalia em doutorado Programa Nacional Biblioteca da Escola

Por: Ana Maria Lopes

 
 
O professor Amir Aparecido dos Santos Piedade acaba de obter o seu Doutorado na PUC, com uma pesquisa de quatro anos sobre o Programa Nacional Biblioteca da Escola. "PNBE do Professor: Livros e bibliotecas para a formação docente" analisa as edições de 2010 e 2013 do programa, em escolas localizadas nos municípios de Sumaré e Guarulhos.
 
Concebido pelo Ministério da Educação, o PNBE foi uma das políticas públicas de Educação desenvolvida nos governos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff para contribuir na formação continuada de professores da Educação Básica.
 
Para conhecer o programa e suas implicações na formação continuada dos docentes, Amir Aparecido pesquisou a formação das bibliotecas escolares e os programas de livros destinados à escola pública.
 
"Através de entrevistas com professores em algumas instituições de ensino, procuramos identificar quem era o profissional ao qual se destinava o programa: a formação, o hábito de leitura; conhecimento do PNBE do Professor e o uso da biblioteca escolar", explica o professor, que dedicou-se também a analisar o impacto do programa no mercado editorial e nos livros produzidos pelos autores para atender os editais do Ministério da Educação.
 
O pesquisador também atua no mercado editorial e é autor de 11 livros infantis e, nesta atividade, tem acompanhado os principais programas de livros, tanto para os alunos quanto para os professores desde 1994.
 
"O PNBE do Professor representou um marco na minha carreira editorial por permitir o acompanhamento na indicação dos títulos", explica o pesquisador que, inclusive, criou projetos para que os autores pudessem escrever as obras que concorreram à seleção na edição de 2013 do Programa.
 
A tese de 239 páginas é organizada em duas partes. Na primeira, o professor analisa o histórico das bibliotecas para a formação de professores, desde o começo do uso de suportes da escrita, como argila, papiro, osso, pergaminho até chegar ao papel e à biblioteca como o espaço físico que conhecemos, com coleções de livros e grandes acervos.
 
A segunda parte do trabalho explica o processo de criação e desenvolvimento das edições de 2010 e de 2013 do PNBE, que difere dos programas anteriores de aquisição de livros para os professores, por priorizar todas as disciplinas da Educação Básica.
 
"Outra diferença do Programa foi a exigência de obras que contemplassem a teoria e a metodologia. Com isso, houve uma preocupação por parte dos autores em adequar algumas obras disponíveis", explica o pesquisador.
 
Amir Aparecido verificou não apenas os títulos selecionados pelo PNBE, mas também valores, distribuição dos acervos e recepção do programa nas escolas pesquisadas e o uso do material por parte dos docentes.
 
"A pesquisa preocupou-se em conhecer a reação e o conhecimento dos professores, diretores e coordenadores sobre o PNBE e como ele foi recebido na escola", explica.
 
Outro destaque da tese de Amir Aparecido é o capítulo dedicado à educação no período editorial, no qual ele avalia como ficaram os projetos de livros com o golpe de 1964 até o avanço conseguido nos anos de redemocratização.
 
"A Educação sempre foi uma das primeiras vítimas de qualquer golpe de Estado na História. No Brasil, não foi diferente. As organizações estudantis foram colocadas na ilegalidade, com perseguição a professores e cientistas e educação política dos jovens pela ditadura, através da criação das disciplinas de Educação Moral e Cívica em todos os graus de ensino, Organização Social e Política Brasileira (OSPB), no Segundo Grau, e Estudos de Problemas Brasileiros (EPB), no Ensino Superior", ensina Amir Aparecido.
 
O pesquisador conclui que a suspensão do PNBE e dos demais programas de literatura do MEC, a partir de 2016, é preocupante. "Tenho confiança que, passados os dias sombrios que vivemos, o Programa seja retomado como um instrumento a mais para a formação do professor como intelectual e agente de transformação social e que a biblioteca escolar seja resgatada, para a formação de leitores e auxílio no processo de ensino-aprendizagem", avalia.
 
Graduado em História, Filosofia e Pedagogia e Mestre em Ciências da Religião, Amir Aparecido dos Santos Piedade é professor na Escola Estadual Carlos Machado Bittencourt, em Guarulhos.
 
SERVIÇO: A tese "PNBE do Professor: Livros e bibliotecas para a formação docente" pode ser consultada na íntegra na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da PUC-SP:
https://sapientia.pucsp.br/
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011