APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

ACONTECE NA SUBSEDE

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Sex, 08 de Agosto 2014 - 15:45

Professores realizam protesto contra violência nas escolas

Por: Diário de Suzano - 08.08

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) realizou, no início da tarde de ontem, uma manifestação no Centro de Itaquaquecetuba. O motivo da passeata - que reuniu cerca de 100 pessoas, entre professores, funcionários das escolas e alunos - é o aumento dos casos de violência nas escolas da cidade.

De acordo com o professor Douglas Martins Izzo, que também é diretor estadual da Apeoesp, a manifestação tem como objetivo cobrar providências do governo estadual e diminuir os incidentes de violência nas escolas. "Temos casos de depredação, roubo do patrimônio, agressão contra professores e alunos. Já faz um tempo que as reclamações são constantes".

Após concentrarem-se na Praça João Álvares, os manifestantes caminharam pacificamente até a delegacia, onde entregaram um documento simbólico com as reivindicações. "Além da questão do déficit de policias na cidade, temos um problema muito sério no entorno das escolas, que envolve a questão de uso e tráfico de drogas. Isso está diretamente ligado a essas situações de violência".

De acordo com a Apeoesp, 70% dos professores da rede estadual já presenciaram ou sofreram algum tipo de violência física ou verbal. Segundo a professora Eliana Correia, que leciona na Escola Estadual Edna Alves Barbosa, na manhã de ontem houve um arrastão antes do início das aulas da manhã. "Mandaram encostar todo mundo na parede e levaram os celulares. Já roubaram até carros dos professores, e essas situações são frequentes", conta.

Já a professora Fabiana Silva, que ministra suas aulas na Escola Estadual Amália Maria dos Santos, diz que há cada vez mais receio por parte dos professores das escolas. "Não temos nenhum respaldo. Entramos para dar aula, mas não sabemos o que pode acontecer. Precisamos de policiais, psicólogos, assistentes sociais. A falta disso tudo dificulta muito o combate à violência nas escolas".

RESPOSTA

A Secretaria de Estado de Educação disse que os casos de crime aconteceram fora das escolas. Portanto foge da responsabilidade da secretaria estadual. A pasta ressaltou ainda que rondas escolares são feitas constantemente nas unidades da ensino.

"Com relação à pesquisa mencionada pela reportagem, a Diretoria de Ensino de Itaquaquecetuba esclarece que o enfrentamento às situações de vulnerabilidade devem ocorrer em diversas frentes, que englobam polícia, comunidade escolar e família, por isso atua em alinhamento e parceria permanente com todas as instituições. Atualmente, a Secretaria da Educação conta com mais de 3 mil professores especializados em prevenção de conflitos para mobilizar alunos e professores a fim de melhorar a convivência no ambiente escolar. Somente na região de Itaquaquecetuba existem 47 professores-mediadores", completou em nota.

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011