APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

ACONTECE NA SUBSEDE

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 29 de Janeiro 2020 - 22:08

Sindicato aponta erros e confusão em atribuição de aulas na rede estadual

Por: Tisa Moraes - JCNet - 28.01

 
Entidade denuncia problemas na contagem de pontos de professores da categoria 'O'; Estado afirma que não há falhas
 
A atribuição de aulas na rede estadual de ensino vem sendo marcada por transtornos, lentidão e espera que chegou a atravessar a madrugada. A situação é denunciada pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), que alega que professores da categoria 'O', contratados temporários, enfrentaram problemas com a contagem de suas pontuações do tempo de magistério, o que levou a atrasos no processo de atribuição.
 
Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) não reconheceu a existência sistemática de falhas (leia mais abaixo). Diretora estadual da Apeoesp, Suzi Silva relata que os problemas começaram em setembro do ano passado, quando houve a abertura de inscrições para a categoria de professores efetivos para o ano letivo de 2020.
 
"O governo estadual havia promovido algumas alterações em relação à contagem de pontos dos professores. A Apeoesp entendeu que estas mudanças iriam prejudicar, principalmente, os professores mais antigos da rede e obteve uma liminar na Justiça, fazendo com que o governo retomasse os critérios adotados nos últimos anos: tempo de serviço e títulos obtidos", detalha.
 
Segundo Suzi, em razão desta readequação imposta por decisão judicial, houve demora para o início da inscrição dos professores da categoria 'O', que entraram em férias sem definição sobre a sua classificação para atribuição de aulas. Em dezembro, a Seduc informou, então, que as inscrições seriam automáticas.
 
ERROS
 
Em janeiro, porém, os erros na contagem de pontos começaram a ser detectados e, devido ao prazo apertado para a análise dos pedidos de revisão, o processo de atribuição de aulas acabou se tornando lento. "O governo não deu conta de corrigir a pontuação a tempo. As atribuições estão tumultuadas no Estado todo, inclusive com suspensão do processo, na última quinta-feira, em mais de 50 diretorias regionais de ensino", sustenta Suzi.
 
Ela acrescenta que, na sexta-feira, as atribuições continuaram lentas em razão dos equívocos na contagem de pontos, o que fez com que o processo atravessasse parte da madrugada de sábado. Os trabalhos foram retomados e encerrados para a categoria 'O' nesta segunda-feira (27), de acordo com a Seduc.
 
A Apeoesp estima que os profissionais inseridos nesta categoria representem cerca de 40% dos professores contratados pela rede estadual de ensino, cujo ano letivo será iniciado em 3 de fevereiro. Ainda de acordo com a entidade, a rede estadual soma mais de 5 mil professores nos municípios abrangidos pela Diretoria Regional de Ensino de Bauru.
 
'Não houve qualquer alteração'
 
Questionada pelo JC sobre a existência de falhas no processo de atribuição de aulas, a Seduc, por meio de nota, informou que "não houve qualquer alteração nos procedimentos e regras para atribuição dos professores temporários em 2020".
 
Ressaltou, ainda, que a atribuição dos professores concursados já foi concluída em toda a rede e que o prazo para atribuição dos docentes da categoria 'O' foi prorrogado até segunda-feira (27) devido à grande demanda. "Quanto aos recursos solicitados, foram analisados individualmente e, se necessário, corrigidos", completa.
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011