APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

NOTÍCIAS 2019

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 25 de Setembro 2019 - 16:06

As maldades da reforma da Previdência de Bolsonaro

Por: Cláudia Motta - RBA Rede Brasil Atual - 24.09

 
 
Adeus, aposentadoria?
 
Série de vídeos do Coletivo Alvorada alerta sobre as mentiras e os riscos para o futuro dos brasileiros se "reforma" passar como está.
 
– "Estamos fazendo uma reforma de Estado, dizendo que a velha Previdência quebrou, é iníqua e transfere renda perversamente dos mais pobres para os mais favorecidos." A fala é do ministro da Economia, Paulo Guedes, à comissão especial da Câmara dos Deputados, em maio, que debateu a reforma da Previdência do governo Bolsonaro. A Mentira é o primeiro da série de quatro vídeos produzidos pelo Coletivo Alvorada para tratar dos impactos dessa "reforma" na vida dos brasileiros.
 
Assim como a frase de Guedes, que abre o vídeo A Mentira, outros tantos "dados" – utilizados pelo governo Bolsonaro e sua base aliado para justificar o desmonte da Previdência – são desmentidos ao longo da série que é completada por A Maldade, O Futuro e A Resistência.
 
A equipe do Alvorada esteve em Brasília entre os últimos dias 2 a 6 entrevistando parlamentares e lideranças. Os depoimentos foram transformados nesse pequeno documentário sobre tramitação da reforma, explica o produtor cultural Pedro Alexandrino Martins, um dos coordenadores do Coletivo.
 
Com a ajuda de parceiros, o grupo também já produziu vídeos sobre os impactos da "reforma" em onze profissões e outros feitos para pressionar os deputados federais mineiros a votar a favor do povo.
 
Formado há pouco mais de três anos, na iminência do impeachment, o Coletivo Alvorada desenvolve uma série de ações desde o "Fora Temer" e, com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, imediatamente se incorporou à luta por sua liberdade. O bandeirão amarelo do Coletivo Alvorada já é marca registrada dos atos por Lula Livre.
 
"Hoje fazemos também esse trabalho contra os desmontes propostos por esse novo governo. Fizemos esse da reforma da Previdência e vamos fazer mais", conta Pedro. "Estamos aguardando resoluções sobre a PEC Paralela que parece ser uma ameaça ainda maior. E em fase de pesquisa sobre a reforma tributária. Vem mais uma bomba, mais um desmonte, mais uma conta para o povo brasileiro pagar."
 
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011