APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

NOTÍCIAS 2019

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qui, 17 de Janeiro 2019 - 11:28

Sindicato pressiona, consegue renovação de professores e garante início das aulas em SP

Por: Redação RBA

Presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu liminar que barrava a contratação de professores temporários para rede pública estadual

De acordo com o sindicato, não haveria prazo para a situação ser regularizada, o que deixaria milhares de alunos sem aulas

 

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, no último domingo (13), que suspendeu a liminar que barrava a contratação de professores temporários na rede pública de ensino no estado de São Paulo, foi comemorada pela Apeoesp, o sindicato da categoria, que pressionou o governo estadual a recorrer. A decisão de um acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) impedia a renovação do contrato de cerca de 8.500 professores da Categoria O, os chamados temporários.

A Apeoesp considera a decisão fundamental para o início do ano letivo no estado. De acordo com o sindicato, não haveria prazo para a situação ser regularizada, o que deixaria milhares de alunos sem aulas. "O problema passa por diversas cidades. Em Piracicaba, 30% dos professores são contratados nessa modalidade. Em Mogi Mirim, são 50%. Não iria ter aula", afirma a presidenta da Apeoesp, Maria Izabel Noronha, a Bebel.

Marcos dos Santos, que há 10 anos trabalha como professor da Categoria O, relata à TVT que o salário que recebe é por aulas atribuídas. Apesar de terminar 2018 dando aulas de educação física em seis escolas, ele começou 2019 sem nenhuma garantia de emprego. "Não foi nem no final do ano passado que bateu um sentimento de preocupação, foi mais no início deste do ano, com a notícia do TJ-SP", afirma.

Na capital paulista, 629 de todas as diretorias de ensino da cidade poderiam ficar sem professores de 1º a 5º ano do ensino fundamental. Outras 37 diretorias de ensino do estado, do total de 91, também seriam prejudicadas. As cidades mais afetadas pela medida seriam Campinas, Mogi Mirim, Americana, São Carlos, Araraquara e Santo André.

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011