APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Publicações

Redes Sociais Twitter YouTube RSS
Observatório da Violência

Observatório da Violência

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Seg, 02 de Julho 2018 - 17:36

Agredida na escola, professora comemora condenação de aluna

G1 - 01.07

 
 
Justiça determinou que estudante de 13 anos fique em liberdade assistida em Sertãozinho (SP). Agressão aconteceu em escola, após docente pedir que jovem guardasse os fones de ouvido.
 
A decisão da Justiça que determinou liberdade assistida e prestação de serviços comunitários a uma estudante de 13 anos, por agredir uma professora em sala de aula, em Sertãozinho (SP), deve servir de exemplo para outros alunos e evitar casos de violência escolar.A afirmação é da professora que foi agredida pela jovem, após pedir que retirasse os fones de ouvido. Com a condição de não ser identificada, a docente contou que, após o episódio, passou a fazer tratamento psiquiátrico e disse sentir-se mais tranquila com a decisão judicial.
 
"Hoje, a classe dos professores foi, de uma certa forma, honrada, porque muitos colegas não têm coragem de chegar aonde cheguei. É necessário que se faça alguma coisa para que esses jovens tenham limites e saibam que isso é um desacato, que pode ter uma consequência séria."
 
A agressão dentro da Escola Estadual Professora Edith da Silveira Dalmaso chegou ao conhecimento das autoridades no final do ano passado, por intermédio do Ministério Público. O motivo das agressões foi um pedido da professora para que a aluna retirasse os fones de ouvido e prestasse atenção na aula.
 
"Estou mais tranquila. Eu não tinha intenção de prejudicar a jovem. Só quero que isso sirva de exemplo para que a gente possa transformar a juventude em algo mais produtivo e não nessa violência que a gente tem visto", disse.
 
Agressão na escola
 
Em outubro de 2017, a professora relata que havia entrado na sala do sexto ano da escola estadual, quando viu a aluna cantando e ouvindo música com fones de ouvido. Ela pediu para que a jovem parasse para não atrapalhar a aula.
 
Segundo a docente, a estudante respondeu com agressividade, em tom desafiador, e foi orientada a deixar a sala. Ao caminhar em direção à porta para chamar a inspetora, a educadora foi surpreendida pela aluna com chutes e socos.
 
As agressões cessaram com a chegada de funcionários, mas a vítima afirmou que estudante continuou a ameaçá-la fora da escola. A aluna foi transferida e a docente, fastada por dois meses.
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011