APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Publicações

Redes Sociais Twitter YouTube RSS
Observatório da Violência

Observatório da Violência

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 25 de Setembro 2019 - 15:58

Estudante é socorrido para UPA após ser agredido durante confusão em escola de Campinas

G1 Campinas e Região

 
 
Caso ocorreu na manhã desta terça-feira (24), na Escola Professor Vicente Rao, no Parque Industrial. Educação diz que vítima foi atendida por diretora e professor antes do Samu.
 
Um estudante da Escola Professor Vicente Rao, em Campinas (SP), precisou ser socorrido até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Padre Anchieta, nesta terça-feira (24), após ser agredido durante uma confusão com outro aluno dentro da unidade no período da manhã. Além disso, um boletim de ocorrência já foi registrado pela Delegacia de Infância e Juventude.
 
De acordo com a Secretaria de Educação, a agressão ocorreu no pátio da unidade no Parque Industrial, durante o intervalo, e a vítima chegou a desmaiar. Ela foi atendida inicialmente pela diretora e um professor de educação física, antes de ser levada pelo Samu até a unidade.
 
Ainda segundo a pasta, o garoto já foi transferido para o Hospital de Clínicas da Unicamp para exames complementares, mas passa bem. Ele está no sétimo período, enquanto o outro aluno é do oitavo. "Imediatamente após o fato, a direção da escola convocou os pais dos dois estudantes para informar o ocorrido e dar orientações. A escola está dando todo o apoio às famílias", diz nota.
 
O caso
A mãe alega que tudo começou após o filho ter sido alvo de bullying do agressor e de outros colegas. Ela conta que o garoto respondeu ao outro jovem, de 14, mas depois disso foi agredido com socos na cabeça, incluindo áreas do olho direito e da orelha esquerda.
 
Além disso, ela explica que as ofensas verbais começaram desde que o filho foi matriculado na escola, há um ano, e reclama da quantidade de inspetores na escola porque considera insuficiente.
 
O G1 não conseguiu contato com a família do outro garoto envolvido na confusão. À Polícia Civil, por outro lado, o adolescente relatou que na verdade ele teria sido inicialmente abordado pelo garoto mais novo, sofrido bullying, empurrado e levado um soco antes de revidar com agressões.
 
O adolescente mais novo passará por exame no Instituto Médico Legal e a mãe dele também esteve na delegacia nesta tarde. O boletim de ocorrência foi registrado como ato infracional e, de acordo com a instituição, os dois jovens são considerados autores e vítimas.
 
O que será feito?
Em nota, a Secretaria de Educação alegou que a escola desenvolve durante a rotina um programa de cultura de paz, implantado em outras 45 unidades da rede. "Entre as atividades estão incluídas ações como convivência ética na escola; cartão vermelho para bullying; Justiça restaurativa. As atividades são em parceria com a Unicamp e a PUC-Campinas, além do Ministério Público."
 
Sobre o suposto déficit de inspetores, a pasta alegou que o quadro está completo.
 
 
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011