APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Publicações

Redes Sociais Twitter YouTube RSS
Observatório da Violência

Observatório da Violência

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Seg, 20 de Junho 2016 - 16:54

Professora de Ribeirão Preto relata cabeçada e ameaça de aluno em aula

G1 Ribeirão e Franca

 

 

"Disse pra eu preparar meu caixão", diz docente, com medo de ir à escola. Apeoesp registra uma agressão a professor por semana na cidade.

Uma professora que prefere não ser identificada relata estar com medo de voltar a dar aulas na Escola Estadual Vereador José Bompani, em Ribeirão Preto (SP). A docente diz ter sido agredida com uma cabeçada e ameaçada de morte por um aluno de 13 anos.

Situação que, segundo apurou o Jornal da EPTV com o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), se repete ao menos uma vez a cada semana na cidade.

A agressão foi em abril e a professora reclama que, após voltar de um período de afastamento, teme reencontrar o adolescente na instituição no bairro Valentina Figueiredo, na zona norte.

"Ele disse que era pra eu preparar meu caixão. Entendo o seguinte: uma vez dito isso há retorno e como ele voltou creio que ele possa concretizar o ato", afirma.

A Direção Regional de Ensino informou que o estudante foi chamado com a mãe e foi transferido para outra escola, mas ressaltou que os docentes precisam atuar no sentido de evitar conflitos dentro de sala de aula.

Ele disse que era pra eu preparar meu caixão. Entendo o seguinte: uma vez dito isso há retorno e como ele voltou creio que ele possa concretizar o ato"

professora da rede estadual
em Ribeirão Preto

Professora se diz insegura
A professora conta que tentou repreender o aluno em sala durante uma aula em abril, mas acabou provocando uma reação inesperada no estudante. Segundo ela, o aluno deu uma cabeçada nela e ameaçou dar-lhe um soco. "Só não concretizou porque os outros alunos seguraram", diz.

Durante a confusão, o adolescente ainda teria a ameaçado de morte. A docente pediu afastamento por licença-saúde da escola estadual e disse ter relatado o caso à direção, mas que nenhuma providência tinha sido tomada.

"Por conta desse problema precisei me afastar e deixei que a direção da escola tomasse as devidas providências. Eu retornei a essa escola pensando que a direção realmente tivesse feito alguma coisa. Numa reunião recebo a notícia de que esse aluno voltou, voltou e deixou todos os professores surpresos, principalmente a mim, porque agora estou insegura, com medo de entrar nessa sala e desse aluno na minha frente."

Direção Regional

A dirigente regional de ensino de Ribeirão Preto, Simone Maria Locca, afirma que a situação aconteceu há 40 dias na escola estadual José Bompani, mas que o caso só chegou ao seu conhecimento há alguns dias.

"Como não foi feito nenhum expediente para averiguar o fato o aluno continuou", afirma.

Segundo ela, mediante a ciência dos fatos, o departamento chamou a mãe do adolescente e, em acordo com ele, decidiu transferi-lo para outra unidade educacional.

A dirigente afirma que, nas últimas três semanas, soube de ao menos três desentendimentos entre professor e aluno em escolas da rede, mas que sempre orienta diretores de escola e professores a lidar com situações como essa.

"Mas é o que eu digo: o respeito tem que ser mútuo entre as partes, tanto do professor quanto do aluno, para evitar situações de conflito", diz.

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011