APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Publicações

Redes Sociais Twitter YouTube RSS
Observatório da Violência

Observatório da Violência

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Ter, 10 de Março 2020 - 15:31

Professora grávida relata ter sido agredida por aluna de 15 anos após bronca em sala de aula

G1 - 09.03

 
Segundo registro policial, profissional levou empurrões, puxões de cabelo e arranhões. Ela foi levada ao hospital para checar as condições da gestação, que não foi afetada.
 
Uma professora grávida de 5 meses registrou um boletim de ocorrência alegando ter sido agredida por uma aluna de 15 anos, na manhã de sexta-feira (6), na Escola Estadual Leny Barros, em Assis (SP).
 
Segundo relato da profissional à polícia, ela estava dando aula e uma aluna estava conversando muito. Por isso, a professora chamou a atenção da adolescente, que decidiu sair da sala.
 
Então, a professora contou que pediu para a estudante voltar para aula, mas a aluna retornou e a agrediu com empurrões, puxões de cabelo e arranhões.
 
A professora foi levada para a maternidade de Assis e, segundo a polícia, a gestação não foi afetada. O marido da profissional contou à TV TEM que ela está afastada do trabalho e muito abalada.
 
A professora, que dá aula há mais de 10 anos, também será submetida a um exame de ultrassom para verificar as condições de saúde do bebê.
 
Em nota, a Diretoria Regional de Ensino de Assis informou que repudia toda e qualquer forma de agressão e violência, principalmente dentro do ambiente escolar. Disse ainda que os responsáveis pela aluna foram convocados e compareceram para uma reunião na escola.
 
Ainda de acordo com a Secretaria de Educação, o Conselho Tutelar e o Conselho de Escola foram convocados para definir quais medidas serão adotadas, e a Regional informou que presta total apoio à professora. Também informou que a equipe gestora incluirá o acontecimento na Plataforma Conviva (Placon) e intensificará ações com foco na melhoria do clima escolar.
 
Agressões contra professores
Segundo um levantamento feito pela Globonews via Lei de Acesso à Informação, o número de agressões contra professores nas escolas estaduais de São Paulo cresceu 73% em 2018 em relação a 2017.
 
Ao todo, foram registradas 434 agressões em 2018. Os dados do ano passado ainda não estão disponíveis.
 
No ano passado, um outro professor foi agredido no Centro-Oeste Paulista, na Escola Otacílio Sant'anna, em Lins.
 
O professor de 62 anos ficou com o rosto ensanguentado após ser atingido por socos e um caderno arremessado por um estudante de 14 anos. O profissional teve que ser hospitalizado e levou pontos no rosto.
 
 
Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011