APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Teses e Dissertação

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qui, 17 de Novembro 2011 - 18:46

Entre o sacerdócio e a contestação: Uma História da APEOESP

Um dos mais abrangentes trabalhos sobre a trajetória da APEOESP está acessível no Banco de Dados da Unesp, a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Trata-se da tese de doutorado em História defendida pelo professor Ricardo Pires de Paula, conselheiro estadual do sindicato, na Unesp de Assis em 2007: "Entre o Sacerdócio e a Contestação: Uma História da APEOESP (1945-1989)".

Por: Doutorado em História professor Ricardo Pires de Paula

Entre o sacerdócio e a contestação: Uma História da APEOESP

Um dos mais abrangentes trabalhos sobre a trajetória da APEOESP está acessível no Banco de Dados da Unesp, a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Trata-se da tese de doutorado em História defendida pelo professor Ricardo Pires de Paula, conselheiro estadual do sindicato, na Unesp de Assis em 2007: "Entre o Sacerdócio e a Contestação: Uma História da APEOESP (1945-1989)".

"Tivemos como preocupação acompanhar a história da APEOESP a partir da sua relação com os diferentes momentos da história do País e estender as especificidades de suas ações e experiências a diferentes contextos e realidades, rompendo assim com certas dicotomias (associação X sindicato; pelego X grevistas)", explica o autor, destacando o diferencial da sua tese, que é reconstituir a trajetória sindical a partir de uma nova abordagem, que inclui também o período anterior a 1978.

O pesquisador dividiu esta história em três capítulos: 1945/1963 - surgimento e estruturação da entidade, até a primeira experiência grevista dos docentes;

1963/1978 - anos de acomodação e resistência em meio à ascensão e crise do regime militar; e, por fim, 1978/1989 - fase de reorganização do sindicato e de surgimento de novos grupos, projetos e ideologias acerca da organização dos professores.

Um novo olhar

"Vivenciar uma paralisação serviu para que certas concepções acerca do trabalho do professor fossem questionadas. Ensinar deixava de ser uma missão sagrada, executada por alguém que abriria mão de possíveis compensações materiais, e passava a ser vista como uma profissão, desempenhada por um profissional que reivindicava tal qual qualquer outra categoria de trabalhadores", diz o autor sobre o primeiro capítulo desta história: as passeatas no final dos anos 50 e a ação grevista inaugural do Magistério, em 1963.

Ricardo Pires pesquisou atas de reuniões, documentos redigidos pelas diversas tendências políticas que fazem ou fizeram parte da entidade, a produção acadêmica e os livros que abordam direta ou indiretamente o sindicato, edições do Jornal - intitulado Jornal da APEOESP desde 1992 - e outras fontes. Tudo para reconstituir manifestações, greves, congressos, assembleias e eleições de diretoria.

Entre os momentos marcantes desta história, as disputas em torno do primeiro Estatuto do Magistério, a criação do Representante de Escola da APEOESP no final de 1982 e a luta em defesa da redemocratização do País.

Ao questionar como o professorado paulista passou a identificar-se como sujeito histórico, frente às ações patrocinadas pelas suas lideranças, a dissertação revela que as pressões da entidade junto ao Legislativo e Executivo para garantir o atendimento à pauta de reivindicações e o apoio a candidatos compromissados com a categoria tornaram-se práticas comuns nos movimentos democráticos vivenciados pelo País, já a partir de 1945.

Na medida em que os diversos setores da sociedade reagiam à polarização dos anos 60, os professores aderiram também a métodos de luta típicos da classe operária, como a greve.

A pesquisa tem ainda o mérito de avaliar temas recorrentes da pauta de reivindicações do professorado ao longo das últimas décadas, como a questão salarial, a realização de concursos, a situação precária de grande parcela dos profissionais, a luta pelo aumento do número de vagas na rede pública de ensino e a Lei de Diretrizes e Bases.

Orientado pelo Prof. Dr. Frederico Alexandre de Moraes Hecker, o trabalho de 271 páginas é dedicado aos professores e professoras da rede oficial de ensino, pela incansável luta em defesa de uma educação pública de qualidade.

A tese "Entre o Sacerdócio e a Contestação: Uma História da APEOESP (1945-1989)", apresentada à Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Assis, pode ser acessada através do Banco de Dados da Universidade: http://portal.biblioteca.unesp.br/portal/athena

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011