APEOESP - Logotipo
Sindicato dos Professores

FILIADO À CNTE E CUT

Acessar Cadastre-se

Teses e Dissertação

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Qua, 13 de Janeiro 2016 - 12:06

Gestão da Escola de Tempo Integral é avaliada em Mestrado na PUC

Por: Ana Maria Lopes

Mestre em Políticas Públicas em Educação pela PUC Campinas, a professora Mariângela Leocárdio Jacomini obteve o seu título com a pesquisa "Gestão da Escola de Tempo Integral na Perspectiva da Inclusão Social", uma refinada análise à implantação das oficinas curriculares nas Escolas de Tempo Integral na rede estadual paulista.

O Programa Escola de Tempo Integral do Estado de São Paulo foi implantado pela Resolução SE-89, de 9 de dezembro de 2005. Com base em métodos de levantamento bibliográfico, análise documental e aplicação de questionário, a pesquisadora estudou a implementação das oficinas curriculares nas escolas que fazem parte do Programa.

"Investigamos como se deu o processo de implementação das oficinas curriculares nas escolas, considerando as políticas públicas do estado de São Paulo. Também pesquisei as características das oficinas curriculares nas Escolas Técnicas, com foco na infraestrutura e nos recursos pedagógicos necessários para a sua realização", explica a professora.

O Mestrado de Mariângela Leocárdio também avalia os desafios relacionados aos campos pedagógico, estrutural e operacional para o desenvolvimento das oficinas.

A pesquisa envolveu quatro das seis escolas incluídas no Programa, em municípios jurisdicionados à Diretoria Regional de Ensino de São João da Boa Vista. Foram entrevistados diretores, vice-diretores e professores coordenadores pedagógicos.

"O Programa Escola de Tempo Integral foi implantado na rede pública estadual sem prévia preparação das escolas e de suas equipes, fazendo com que se recorresse a soluções improvisadas para os desafios que emanaram, dentre os quais se destacaram a inexistência, insuficiência ou inadequação do espaço físico e a falta de professores com formação e perfil adequados para ministrá-las", conclui a pesquisadora.

Apesar de representarem um inegável diferencial para a melhoria da qualidade da Educação e para a formação integral do aluno, as oficinas enfrentam problemas que interferem na qualidade da educação oferecida,

"É necessário que haja formação continuada específica aos professores que atuam nas oficinas e também é preciso que sejam feitas reformas nos prédios escolares, a fim de criar espaços próprios para o desenvolvimento adequado das atividades diversificadas propostas", defende a professora Mariângela Leocárdio na conclusão do trabalho,

SERVIÇO: Mais informações sobre o Mestrado "Gestão da Escola de Tempo Integral na Perspectiva da Inclusão Social" na Biblioteca Digital da PUC Campinas: http://www.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/.

Contatos com a pesquisadora, Mariângela Leocárdio Jacomini, através do e-mail mljacomini@professor.sp.gov.br

 

 

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011