APEOESP - Logotipo

Sindicato dos Professores
do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

Filiado CNTE e à CUT

Acessar
Acessar

Não é cadastrado ? Cadastre-se


Teses e Dissertação

Redes Sociais Twitter YouTube RSS

Compartilhe: Imprimir

Voltar

Sex, 23 de Setembro 2016 - 18:28

Pesquisador analisa em doutorado a interação entre meninos e meninas na escola

Por: Ana Maria Lopes


O pesquisador Fábio Hoffmann Pereira dedicou sua tese de doutorado à construção do gênero no ambiente escolar. "Configurações de ofício de aluno: Meninos e meninas na escola" é o título do trabalho, que foi desenvolvido na Faculdade de Educação da USP, com 'período sanduíche' na Universidade do Minho, em Portugal.

Durante um ano letivo, Fábio, que atualmente é diretor de uma escola municipal em São Paulo, acompanhou uma turma de 2º ano do ensino fundamental, com estudantes com idade entre 7 e 8 anos.

Para traçar os perfis, o pesquisador analisou a interação entre os estudantes e aplicou questionários sócio-econômicos, de hábitos culturais e de estudos para entender a relação deles com suas famílias e com a escola. "As análises concentraram-se em três dos aspectos observados: relação da professora da turma e sua organização da aula com os meninos e as meninas, as relações dos alunos e das alunas com o espaço da sala de aula e com os materiais escolares e as relações entre pares", descreve.

A tese de 244 páginas, concluída em 2015, estuda o comportamento e a interação entre as consideradas melhores alunas, os mais populares, alunas e alunos invisíveis e as que se consideram amigas para sempre.

Como base teórica para a sua tese, Fábio Hoffmann adotou o trabalho do sociólogo Norbert Elias, que defende a ideia de que os indivíduos estabelecem relações de interdependência, seja na família, na escola, entre amigos, na figura da professora e até com os materiais escolares e o espaço físico. "São configurações, seja das boas alunas ou dos meninos de quem todo mundo quer ser amigo", explica o pesquisador.

A tese evidencia que em nenhum momento as crianças são passivas no aprendizado de seu ofício como estudantes. "A minha pesquisa mostra que é preciso que professores discutam sobre gênero, pois ele tem uma expectativa sobre a masculinidade e feminilidade na escola e as crianças são parte da sociedade e estão sofrendo opressões de classe, raça e gênero também. A escola precisa questionar e refletir sobre esses temas”, conclui o pesquisador.

Fábio integrou o Grupo de Estudos de Gênero, Educação e Cultura Sexual da Faculdade de Educação da USP e também apresentou Mestrado sobre "Encaminhamentos a Recuperação Paralela", onde analisa também a questão do gênero.

 

SERVIÇO: "Configurações de ofício de aluno: Meninos e meninas na escola" pode ser lida na íntegra na Biblioteca Digital da USP: www.teses.usp.br

Topo

APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - Praça da República, 282 - CEP: 01045-000 - São Paulo SP - Fone: (11) 3350-6000
© Copyright APEOESP 2002/2011